19 de abr de 2010

Adiantado.

Oi gente.. como amanhã o dia vai ser muito corrido, mas também muito especial, eu estou postando adiantado minha homenagem ao dia de amanhã.
Amanhã faz 25 anos que meus papais se casaram, ou seja, BODAS DE PRATA. 
aaaaííí.. eu fiz um textinho em homenagem a eles, sabe né, longe, bate a saudade, queria mt tá no Rio amanhã para dar um abração neles, mas como só chego lá na sextaa... adia o abraço 3 dias. =/


Queridos Pais,

Não vim aqui só dar parabéns por essa vida que vocês estão completando, afinal, 25 anos de casados hoje em dia não é tão fácil assim e vocês conseguiram.
Numa época onde quase todos esqueceram o que é amar, e não entendem nem confiam mais no outro, vocês estão aqui, dando um exemplo de o que é amar, confiança e acreditem, de entender um ao outro. Por que até hoje eu não sei se é mais complicado de entender o Sr. Romeu, com as manias de roupas e comida, ou se é a D. Maria com seu excesso de trabalho e estudo, e mesmo assim vocês estão aí, firmes e fortes.
É, Parabéns por todos esses anos de união, compreensão e carinho.

Mas, como eu disse no início, não vim aqui só para dar parabéns.
Vim aqui para agradecer tudo que conquistei até hoje. Se estou onde estou hoje não foi só com meu esforço, mas sim com o esforço de vocês, com o empurrão de vocês e com certeza com o apoio. Nunca vou me esquecer de chegar em casa e minha mãe me mandar decidir entre um cursinho em Nova Iguaçu e uma faculdade no Mato Grosso, me dando muita força e quando disse que ia ela ficou sem dormir. Rsrs.
Meus queridos pais, não sei se agradeci a vocês por isso. Se estou na UFMT é por vocês. Vocês me apoiaram, me levaram e me soltaram pra eu poder viver a minha vida.
Devo tudo a vocês! Muito Obrigada!

Bem, acho que é isso...
Eu amo muito vocês e vocês são para mim o meu chão, minha base, minha fortaleza, meu tudo. Muito obrigada por serem meus pais!
 Então gente, é isso. Desejo a todos um amor tão verdadeiro como eu sempre vi e aprendi com os meus pais.
Um beeeijo e até a próxima postagem.

Um bom resto de semana...

17 de abr de 2010

Saudades


Aii Gente, to morrendo de saudades de casa, mas faltam 6 dias pra ver esse povo ae.. xD


Saudades
A saudade dói,
aperta no coração,
a mente voa alto,
e eu me sinto numa prisão.
Solitária na vida,
solitária na multidão,
solitária por consequência
e não por opção.
A saudade machuca
e não consigo dizer,
pois aqueles que amo,
não posso esquecer.
Mas não me desespero,
pois sei de uma concretização,
Ao sair dessa,
eles vão me receber com todo o coração.


FAMÍLIA, AMO VOCÊS!


É isso gente.. 
família é família apesar de tudo né?

beeeijos, e bom fim de semana

9 de abr de 2010

-

Oi gente, então, essa semana eu escrevi mais um poeminha da série De Carol. É sobre um fato muito chato e ruim que ocorreu e que retratei em palavras.

Ao meu melhor amigo, uma pessoa muito especial que ficará marcada para sempre!


Meu Amigo

A vida me mostrou
o verdadeiro amor,
mas com o passar do tempo,
o sentimento se desgastou.
O amor que sempre senti por ti
foi algo maravilhoso
quero você em minha vida
como amigo ou apenas um amistoso.
Meu melhor amigo,
saudades vou sentir
dói a ideia
de eu resolver partir.
Nossas vidas um dia se encontraram
e nunca mais vão se separar,
meu amigo eu te adoro
e para sempre vou te lembrar.
Estamos hoje separados
mas isso é um "ponto e vírgula"
um espaço na história,
a continuidade de uma vida.
Se um dia nos encontrarmos
para tornar a escrever a nossa história
teremos já a introdução
e mais meio caminho dessa trajetória.
Vou ficando por aqui
com um aperto no coração,
não quero te perder da minha vida
e muito menos do coração.

Carolina M. Danelli

Bom gente, é isso.
Um ótimo fim de semana pra vcs!

Beeeijos e cuidem-se

3 de abr de 2010

De Carol

Olá Povo.

Não me considero nenhuma poetisa, nem alguém que escreva bem.  Mas são sentimentos né? 
Vou começar a postar aqui alguns poemas de minha autoria ou que eu goste ao ponto de publicar. =)
Para começar, vou postar um poema meu, beem antigo, mas que eu gosto. xD


Medo de amar
A vida às vezes nos põe de cara com nossos medos
Medo de escuro, medo de amar, medo do amor obscuro
Sentimos-nos perdidos quando não temos ninguém
Parece estarmos vivendo a morte
Mas assim que aparece a pessoa certa, ou ao menos,
Certa para o momento
Aquele medo vem à tona.
Medo de colocar para fora toda a verdade
E o choro é a única expressão de angústia
Esse medo também é de ser rejeitada
Sofrer
Pois achamos que o sofrimento é opcional
Mas, o medo traz o sofrimento.
Estamos então querendo nos enganar
Tentando mostrar a nossa mente,
Algo totalmente diferente da linguagem do coração
É, será que alguém algum dia conseguirá entender esse mistério?
Pois a final
O que é amar?!


Carolina M. Danelli

Espero que gostem.

Um beeijo bem grande.